O YouTube está testando um recurso que permitiria aos usuários comprar diretamente os produtos que vêem nos vídeos, de acordo com um relatório da Bloomberg. Pode ser uma das maiores mudanças na plataforma de streaming do Google, transformando-a um pouco em um concorrente da Amazon.

De acordo com o relatório, o YouTube recentemente começou a pedir aos criadores para marcar e rastrear os produtos usados ​​em seus vídeos. Esses dados são então enviados ao Google para construir suas análises, bem como ferramentas de compras diretamente no YouTube. A empresa também está testando a integração com o Shopify.

A Bloomberg disse que um porta-voz do YouTube confirmou que a empresa está testando esse recurso com alguns canais de vídeo, embora ainda esteja em fase experimental. Os criadores também têm controle sobre quais produtos aparecerão como disponíveis para venda.

Ainda não está claro quanto do corte o YouTube receberia dessas vendas. A empresa agora permite que os usuários se inscrevam em criadores de vídeos e fica com 30 por cento disso.

Mas é improvável que um corte tão alto funcione para as vendas de produtos. Afinal, muitos YouTubers já ganham dinheiro com links de afiliados praticamente sem nenhum custo para eles. As vendas diretas no YouTube teriam de oferecer benefícios significativos para os criadores mudarem, embora talvez a capacidade de obrigar os espectadores a compras por impulso direto na plataforma seja um incentivo suficiente.

Não há informações sobre quando o “recurso” pode ser implementado de forma mais ampla. Só saiba que o YouTube pode parecer bem diferente daqui a alguns anos.

Para mais notícias e análises sobre equipamentos, gadgets e hardware, siga Plugged on
Twitter e
Flipboard.

Publicado em 10 de outubro de 2020 – 01:20 UTC



Fonte: thenextweb.com

Deixe uma resposta